Tradução Teatral

segunda-feira, setembro 18th, 2017

No nosso último post, falamos sobre a tradução de poesia e como este gênero literário tem suas nuances e especificidades. Hoje, iremos abordar outro tema que também faz o coração dos tradutores se apertar: tradução teatral.

Inicialmente, se considerarmos a importância histórica do teatro na nossa sociedade, já sentimos de primeira a responsabilidade: ele representa fortes aspectos culturais, além de impactar na cultura de uma sociedade e, em alguns casos, ser uma sátira da sociedade em que vivemos.

A obra de Oscar Wilde, O fantasma de Canterville, por exemplo, retrata como um fantasma que assombra uma bela mansão inglesa se encontra em problemas após uma família Americana comprar a propriedade e acabarem com sua paz com seu consumismo exacerbado e mania de superioridade. Para quem vê a obra em contexto, é fácil compreender as ideias. Mas e se essa obra fosse trazida ao Brasil? A gente compreenderia essa ideia de Estados Unidos vs. Inglaterra? A filosofia por trás do povo Americano? Adaptação poderia ser feita, por exemplo, representando brasileiros e portugueses mas, uma escolha dessas provavelmente seria questionada e poderia até ser ofensiva para algum dos dois lados!

Uma obra que funcionou muito bem no brasil, por exemplo, foi Hairspray. Apesar das ambientações serem diferentes, o preconceito e racismo retratados são os mesmos e é fácil encaixar as ideias no contexto do nosso país sem grandes alterações. O desafio, porém, é adaptar os diálogos porque, afinal, Hairspray é uma comédia musical e as músicas são fundamentais para entender o enredo. Para uma análise mais detalhada, você pode ler nosso artigo a respeito desta obra!

Um último aspecto interessante de levantar é a oralidade. Como traduzir as obras sem perder o aspecto oral da língua original? O fundamental aqui é repetir as falas em nossas cabeças e imaginar se parece algo que falaríamos no dia a dia. E, caso falássemos, em que época? Afinal, para traduzir Shakespeare por exemplo, devemos escolher palavras que remetem à época, diferente de se formos traduzir um Mamma Mia!, por exemplo.

O fundamental, como sempre no nosso mundo, é a pesquisa. Compreender o texto que temos nas nossas mãos, a cultura de onde vem e para onde vai, e qual é o objetivo desse texto. A partir dali, as escolhas começarão a ficar mais simples e intuitivas!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vernaculum - Todos Direitos Reservados 2019