O cérebro bilíngue

sexta-feira, outubro 5th, 2018

Todos conhecemos os resultados do trabalho dos cérebros bilíngues. Livros traduzidos, legendas e traduções simultâneas são parte do nosso cotidiano e estão em todo lugar. Mas há muitas coisas relacionadas a esses processos, e a crescente área da neolinguística tenta nos explicar um pouco. Já se questionou como funciona a troca entre línguas feita por um tradutor? Ou por seu colega de sala estrangeiro? Pois continue lendo, que a coisa vai ficar interessante!

Primeiramente, já é cientificamente comprovado que cérebros bilíngues funcionam de maneira diferente daqueles monolíngues. Sabe-se que nosso cérebro se divide em dois lados: o direito – que é mais lógico e analítico, – e o esquerdo – relacionado a emoções e socialização. Ambos lados do cérebro trabalham juntos quando fazemos uma troca entre línguas, mas a quantidade de funcionamento de cada lado varia.

Um dos maiores debates da neolinguística é a teoria do período crítico, que diz que a capacidade de aprender uma nova língua está diretamente ligada à idade. Apesar de não haver provas certeiras a respeito, afirma-se que crianças e adolescentes podem aprender uma língua com mais facilidade, devido à elasticidade de seu cérebro e a utilização de ambos os lados ao mesmo tempo. Isso ocorre, porque nessa faixa etária as línguas não são utilizadas para fins analíticos e resolução de problemas. Crianças e adolescentes podem associar situações emocionais ou marcantes a cada língua, e literalmente “sentir” em um idioma diferente, o que ocorre com menos frequência na fase adulta.

Tanto, que geralmente adultos expressam sentimentos na sua língua nativa e resolvem problemas ou fazem analises lógicas na segunda língua.

Sabendo de tudo isso, é obvio que escolher um tradutor professional faz a diferença, não é mesmo? Nossa equipe é formada de pessoas cujos cérebros entendem e vivem essa complexidade. Outra curiosidade, é que na nossa equipe estão presentes alguns tipos diferentes de bilinguismo … Confira mais sobre isso no nosso próximo post!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vernaculum - Todos Direitos Reservados 2019