O fenômeno “engrish”

sexta-feira, junho 2nd, 2017

Você já ouviu alguma vez falar sobre o engrish? Na cultura asiática, existe algo denominado wasei-eigo, ou “inglês feito no Japão”, que são palavras japonesas baseadas em línguas europeias, mas que são apenas compreendidas pelos próprios japoneses. Por exemplo, a palavra “famicom” deriva das palavras inglesas “family” e “computer”, representando o videogame. O engrish, tem uma certa semelhança com isso, mas se diferencia em certos aspectos. Ele tem crescido exponencialmente na internet, a ponto de ganhar a categoria de “meme”. Conheça de onde ele veio:

A grande origem deste “meme”, vem da forma como as línguas asiáticas escrevem ou pronunciam de forma errada (e consequentemente engraçada) as palavras em inglês. Este fenômeno, ocorre porque o alfabeto japonês, composto de sílabas, não comporta alguns dos sons do inglês, além de outras línguas ocidentais. É por isso que é comum ver asiáticos trocando o “r” pelo “l” e o “v” pelo “b”. Esse fenômeno também é observado em outras línguas como o espanhol.

A segunda origem provável, é a forma como a moda japonesa insere palavras ou frases em inglês nas suas roupas e acessórios, apenas para fins decorativos e não necessariamente para ser lido por falantes. O mesmo acontece até mesmo no nosso país, onde inúmeras marcas de roupa já cometeram gafes linguísticas nas suas estampas.

Finalmente, a origem mais reconhecida de todas, é algo que não é novo para nós, da área de tradução: a falta de investimento em tradutores qualificados. Um caso famoso na cultura pop é do jogo de mega drive de 1992 Zero Wing: nos diálogos iniciais do game, encontramos a pérola “All you base are belong to us”, e a partir daí surgiram milhares de releituras e paródias do erro, como o da personagem Fawful, dos jogos Mario & Luigi, que fala em “engrish”. Apesar de ser um fenômeno surgido nos anos 90, ele retornou nos últimos anos com força total após o pop coreano (K-POP) estourar no ocidente. Não é raro ouvir músicas com frases de efeito em inglês, com pronúncias que deixam a desejar.

Assim, percebemos que a língua não é apenas um conjunto de palavras. Ela sofre alterações, cresce e se deforma dependendo da cultura em que está submersa. Não perca os significados pelo caminho! Escolha sempre tradutores que sabem o que fazem!

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vernaculum - Todos Direitos Reservados 2019