Dublagem em desenhos animados: quando o valor cultural é a chave

sexta-feira, abril 6th, 2018

Se há um assunto que divide as pessoas é a preferência por filmes dublados e legendados. Enquanto uns afirmam que a dublagem é exagerada e não combina com as personagens, outros argumentam que a legendagem é difícil de ler em algumas situações e até que cansa depois de algum tempo. Há casos em que a escolha correta pela dublagem fazem a diferença e ajudam a valorizar o conteúdo passado. E tudo isso graças à riqueza da cultura e as marcar que ela deixa na língua.

Recentemente foi lançado o filme “Viva – A vida é uma festa”, filme da Disney-Pixar com uma forte e marcante presença da cultura e da tradição Mexicana do Dia dos Mortos. No filme, uma criança encara o desafio de querer ser músico em uma família que, por gerações, baniu a música do lar. A versão brasileira, dirigida por Mariana Elisabetsky e acompanhada de uma equipe de renomados atores da comédia musical, é uma experiência imersiva indescritível. O filme inteiro é dublado em um “portunhol” delicioso, muito fácil de entender, com várias marcas e termos característicos do espanhol mexicano e a pronuncia um pouco “cantada” da língua. Em momentos, é possível até esquecer que estamos vendo um filme em português! E, ainda por cima, o mesmo se aplica para as músicas! Com uma sensibilidade especial, todas as músicas são perfeitamente dubladas mantendo-se próximas da cultura e do país que retratam. Com certeza, o trabalho desses profissionais valorizou enormemente o filme como um todo. Você pode conferir um trecho das músicas aqui.

Outro caso de sucesso nas dublagens encontra-se no extreme oposto: é o caso do desenho japonês One-Punch Man. Diferente do caso da Disney, o desenho não retrata uma cultura específica, mas algo que poderíamos encontrar em um desenho de qualquer outro país: super-heróis lutando contra monstros que invadem sua cidade. Em específico, o herói Saitama que, por ser o homem mais forte do mundo, vive entediado com a vida sem desafios que leva. Por ser uma comédia e um assunto que não estão atrelado

especificamente à cultura japonesa a equipe de dublagem brasileira, dirigida por Diego Lima, conseguiu brincar um pouco mais com a língua e levou o desenho a um outro patamar: utilizando frases típicas e bem informais do português, conseguiu aumentar ainda mais o apelo humorístico da série e o seu estilo meio bizarro, como dá para perceber neste compilado das melhores frases.

O público brasileiro já tinha mostrado anteriormente o gosto por esse tipo de dublagem, mais próxima do dia-a-dia no seriado dos anos 90 YuYu Hakusho, que seguiu a mesma linha, como é visível neste video.

É por isso, como sempre, destacamos a importância da cultura: saber bem como dosar onde precise e onde há mais flexibilidade, valorizar a cultura do locutor ou do interlocutor dependendo do contexto e sempre trabalhar com profissionais que valorizem essas características é a chave do sucesso! J


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vernaculum - Todos Direitos Reservados 2019