Análise: I’d do anything for love

segunda-feira, abril 17th, 2017

Anteriormente, no nosso blog, já falamos sobre música. Falamos sobre como as traduções podem ser enganosas e influenciar na fama de uma música. Mas e quando isso acontece no próprio idioma da música? Como encarar o problema?

No dia 15 de Novembro de 1993, o cantor e compositor Meat Loaf lançou a música romântica “I’d do anything for love (but I won’t do that)”. A faixa de rock progressivo, de 12 minutos, foi um sucesso gigantesco de vendas, alcançando rapidamente o primeiro lugar em 28 países e se tornando o single mais vendido de 1993 no Reino Unido. A música, que é sempre um prazer ouvir, ficou na memória de muitas pessoas e se consagrou, mas, até hoje, gera algumas dúvidas: O que Meat Loaf não faria por amor?

O próprio cantor conta que a pergunta que os fãs mais fazem a ele é “A que ele se refere exatamente com o “that” que se encontra no nome da música?” … E ele sempre tenta explicar que o significado está bem claro e explícito na música. Ele até explicou, desenhando flechas sobre a letra da música, em 1998! Cada verso menciona duas coisas que ele faria por amor e uma que ele não faria. No fim do verso, ele repete “I won’t do that” em referência à promessa feita previamente. As quarto coisas que ele afirma que jamais faria são:

“forget the way you feel right now”

“forgive myself if we don’t go all the way tonight”

“do it better than I do it with you”

“stop dreaming of you every night of my life”

Jim Steinmann, quem escreveu a música junto com Meat Loaf, afirma que a confusão mora na escolha de “but” ao invés de “and” ao se referir àquilo que ele não faria. O simples uso de “but” causa uma ambiguidade, que deixa os ouvintes confusos. O próprio Steinmann alertou Meat Loaf sobre o fato de que essa confusão poderia ocorrer, mas o cantor negou essa possibilidade.

Alguns críticos destacam este caso como um exemplo de como os fãs projetam seus pensamentos, valores e preocupações nas letras de músicas que estão mal construídas. Muitos consideram que a letra está “em aberto” com um “significado oculto” porque conta uma história de amor impossível, ou um amor que está fadado a não funcionar … sendo que, desde o começo, a música estava completa e sem duplos sentidos. Apenas uma escolha infeliz de palavras estragou tudo.

Apesar de tudo, a música em si continua sendo ótima e o mistério que se criou em torno dela, certamente é um ponto positivo para sua popularização. Abaixo, você confere o videoclipe da música. E você? Gosta das músicas dos anos 90? O que você faria por amor?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vernaculum - Todos Direitos Reservados 2019